segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Raça, sozinha, não ganha jogo

Ser um time de veteranos antigos tem suas vantagens. O respeito que se impõe dentro e fora de campo. As artimanhas na hora de definir o regulamento. A possibilidade de zoar a calourada, e os recentes veteranos dela. Mas para os Amigos do Tirão, o FAC-GOL representa ainda mais. É uma das poucas oportunidades no semestre de encontrar os verdadeiros amigos para jogar futebol e relembrar as histórias de tanto tempo de UnB: 45 anos, se somarmos os semestres de todos.

Mas com a idade, também chega a responsabilidade. A FAC a cada dia vai ficando no passado, e o mercado de trabalho há algum tempo passou a ser a rotina. Vale o esforço para disputar o torneio, mas durante a semana os compromissos de cada um não podem ser negligenciados. Se no domingo, o time completo fez grande apresentação, na segunda-feira os desfalques impossibilitaram qualquer chance de bons resultados.


O primeiro jogo do mata-mata foi logo contra os Red Bull All-Stars, uma "SeleFAC" enrustida. Com apenas três jogadores dos Amigos na Arena Banco Real, poderia ser decretado o W.O., mas um acordo entre as duas equipes permitiu que o goleiro Jóta, do Sassaricando F.C., completasse o elenco. Assim sendo, Tirão, FDP e Feto encararam o adversário completo.

Mesmo com um jogador a mais, os "todo-poderosos" Bois Vermelhos demoraram a encontrar o caminho do gol. Os primeiros quatro minutos marcaram a resistência heróica dos Amigos do Tirão, que se desdobraram em todos os espaços da quadra. Mas o cansaço bateu e os adversários enfim aproveitaram a vantagem numérica para costurar as jogadas que definiram o placar. Mesmo perdendo, e sem chances, os Amigos continuaram a jogar limpo, na bola, buscando o gol. Gol de Feto, de fora da área, para premiar o Fair Play do time.

Desvantagem numérica contra um time favorito ao título, cujo capitão elaborou o regulamento, contratou o primo para ser juíz, e a namorada de um jogador para ser mesária. O resultado não poderia mesmo ser outro: 6 a 1 no placar, mas a cabeça erguida daqueles que entraram em quadra e, com dignidade, fizeram a bola rolar.

Com a eliminação das quartas-de-final, os Amigos ainda tinham a chance de revalidar o título de Campeões do Interior, conquistado no último campeonato. Em um lance formidável do destino, o adversário pela vaga na disputa seria o maior rival do time: a Laranja Mecânica. Tito e Catta chegaram para compor o elenco no segundo jogo, mas como esperado, os alaranjados entraram sedentos pelo resultado, que lhes renderia a primeira vitória contra os Amigos, no seu quarto encontro em FAC-GOLs.


Sem um goleiro e sem jogadores reservas, as coisas se complicaram para os Amigos, que permitiram ao Laranja sair na frente no marcador. Como nos outros encontros, o primeiro time a marcar gol tomou conta da partida. O revezamento de goleiros no time dos Amigos fragilizou ainda mais o conjunto, que definitavemente não encontrou o bom futebol jogado no dia anterior. No final, os cítricos autômatos devolveram o placar da primeira fase: 4 a 1. O sonho do bi-campeonato do interior acabava, mas em um grande jogo. O verdadeiro Derby da FAC. Amigos do Tirão e Laranja Mecânica: eternos rivais, mas nunca inimigos.

Outros jogos

- A segunda-feira amanheceu alegre com o primeiro jogo do dia: Sassaricando F.C. contra Tímido Suquinho. O sol saiu para assistir. A torcida compareceu. Os jogadores entraram na quadra bem dispostos. O juíz acompanhou cada lance de perto. Só faltou mesmo o futebol dar as caras. No fim, 4 a 0 para o Sassá. A glória da primeira vitória de toda a história.

- A Seleção Canarinho finalmente mostrou porque é a atual terceira colocada do torneio. Despachou os Chicos F.C. nas quartas com um gol heróico e foi para o quadrangular final. Apesar da derrota para os Ornitorrincos, o time ainda tem chance de levar a Taça José Ferreira para casa, quer dizer, para a 296.

- Outra partida do mata-mata teve um desfecho decepcionante. Os Laranjas seguraram o empate entre os dentes, contra os Ornitorrincos, mas foram desclassificados por terem uma pior campanha na primeira fase. A torcida queria ver uma justa disputa por pênaltis, mas o regulamento esdrúxulo (repito: feito pelo Byll) estava do lado dos verdinhos.

- Confirmando ser a surpresa do torneio, os Selebaixos avançaram rumo ao quadrangular final. Sem baixaria, jogando na bola e com toda a graça e molejo de Cadu Gatão, o time tem tudo embolar a decisão.

- O Time de Quinta abandonou o campeonato. Viados...

Confira a tabela completa aqui.

6 comentários:

  1. agora já tem que ter o terceiro dia também
    hauihauih
    abraços!

    ResponderExcluir
  2. Bom, soh para efeito de correção, o jogo do Sassá foi 4x0

    ResponderExcluir
  3. Selebaixos jogando na bola?!?!?!?! neguinho tava quebrando até a mãe dos adversários

    ResponderExcluir
  4. (Risos) Textos muito bons.

    Que monte-se uma equipe de imprensa para cobrir tudo de forma equilibrada.

    ResponderExcluir
  5. Selebaixos jogando na bola?
    Essa foi a maior piada que eu já vi nesse blog!

    E só pra efeito de resposta,a violência do Selebaixos foi o motivo dos calouros não terem aparecido na terça feira pra disputar o sétimo lugar.Dois jogadores saíram machucados!

    ResponderExcluir